sexta-feira, 6 de março de 2020

90% da população mundial carrega algum preconceito contra mulheres



Descrição da imagem #pracegover #pratodosverem #pratodxsverem #descreviparavocê: foto, bem aproximada, do olho preto de uma mulher negra. Um pouco de rímel realça os cílios.

Num mês emblemático como março, cujo dia 8 nos convida internacionalme à refletir sobre a condição feminina, um estudo do Programa de Desenvolvimento da ONU (UNDP), aplicado em 75 países, aponta que 90% da população mundial carrega algum tipo de preconceito contra mulheres, seja político, econômico, educacional, ou ligado à violência ou direitos reprodutivos.
Dos dados levantados é possível constatar que 30% das pessoas acreditam que um marido tem o direito de bater em sua esposa. Metade das pessoas entrevistadas acreditam que homens são melhores como líderes políticos e 40% pensam que os homens são melhores CEO.

Como era de se esperar, o Brasil aparece na pesquisa como destaque negativo. Foi um dos poucos países em que a misoginia cresceu nos últimos 9 anos. Enquanto 87,98% tinham pelo menos um preconceito contra mulheres entre 2005-2009, esse número aumentou para 89,5% até 2014. O número de pessoas sem preconceito caiu de 12,02% para 10,5%. Para acesso à toda matéria, publicada na Época Negócios, e mais dados da pesquisa clique no link do blog do #IGI, que esta na bio.

#InstitutoGuerreirosdaInclusão
#IGI
#Condiçãofeminina
#Igualdadedeoportunidades

sexta-feira, 12 de julho de 2019

Coletânea de notícias sobre acessibilidade do Instituto Guerreiros da Inclusão

O IGI acredita que por meio do direito humano à informação e à comunicação as pessoas podem exercitar sua cidadania, cultura e senso crítico, passando a fazer suas escolhas pessoais e comunitárias com mais qualidade. 
Por isso, a partir de hoje, disponibilizará diariamente um resumo de notícias nacionais sobre acessibilidade e inclusão, coletado dos veículos de comunicação disponíveis na grande rede.
Para ter acesso à coletânea você acessa o nosso twitter @inclusaoigi, que também se encontra disponível no canto interior direito desse blog.

Para ter acesso, você também pode clicar aqui e será direcionado para a página da coletânea de notícias. 

#InstitutoGuerreirosdaInclusão 
#IGI 
#acessibilidade
#pessoacomdeficiência
#inclusão
#diversidade
#direitoàinformação
#direitoàcomunicação

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

Concurso de curtas-metragens “Comunidades Afrodescendentes: Reconhecimento, Justiça e Desenvolvimento"

O programa IberCultura Viva e a representação no Brasil da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) lançam no Dia Nacional da Consciência Negra (20 de novembro) o concurso de curtas-metragens “Comunidades Afrodescendentes: Reconhecimento, Justiça e Desenvolvimento”.
As inscrições estão abertas até 15 de fevereiro de 2018. O concurso tem como objetivo selecionar vídeos que promovam uma reflexão sobre as comunidades afrodescendentes e a busca do pleno exercício de seus direitos culturais e/ou valorizem sua contribuição para a constituição, a promoção e o desenvolvimento da cultura ibero-americana.
O valor total destinado ao edital é de 5 mil dólares. Dez vídeos receberão prêmios de 500 dólares.
O edital é destinado a pessoas maiores de 18 anos dos países membros do programa IberCultura Viva: Argentina, Brasil, Chile, Costa Rica, Equador, Guatemala, El Salvador, Espanha, México, Peru e Uruguai.
Os vídeos podem pertencer a qualquer gênero audiovisual (documentário, ficção, animação, jornalístico etc) e devem ter duração de um a três minutos.
Eles precisam ter classificação indicativa livre e ser voltados ao público em geral. Vídeos realizados por afrodescendentes e/ou por mulheres receberão maior pontuação.
Este é o segundo concurso de vídeos realizado pelo IberCultura Viva e, nesta edição, conta com a colaboração da UNESCO no Brasil, que no mês de novembro reforça as ações promovidas pela Década Internacional dos Afrodescendentes, declarada na ONU em 2015, sob o lema “Povos afrodescendentes: reconhecimento, justiça e desenvolvimento”.
Em 2016, o programa lançou o seu primeiro concurso de vídeos, o Concurso de Videominuto “Mulheres: culturas e comunidades”, que premiou 10 vídeos de realizadores de quatro países (Brasil, Argentina, Peru e México).
Este edital teve como objetivo dar visibilidade ao papel fundamental das mulheres na cultura e na organização comunitárias, enfrentando atitudes e estereótipos que contribuem para a desigualdade de gênero e a violência.

Clique aqui para ler o edital na íntegra.
Related Posts with Thumbnails